Ibovespa oscila com prisão de Cunha e Copom

  •  
Ibovespa oscila com prisão de Cunha e Copom (Foto:Divulgação) Ibovespa oscila com prisão de Cunha e Copom

O principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, oscila entre ganhos e perdas nesta quinta-feira, 20, com investidores preocupados com a prisão de Eduardo Cunha e decisão do Copom. Há pouco, o índice, operava com alta de 0,24%, aos 63.656 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 2.280 bilhões.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, enquanto temos ligeiro viés positivo na Europa e EUA, a queda de apenas 0,25% na taxa Selic e o aumento do risco político pesam sobre os negócios internos. Desde que Cunha foi preso ontem, os agentes já começam a precificar a chance de ruído na agenda de tramitação das reformas na Câmara. Caso algo atinja o presidente Temer, a realização por aqui será intensa. Por enquanto, tudo ainda é especulação quanto à delação premiada de Cunha, mas o sinal amarelo está ligado. Petróleo também cai nessa manhã, cerca de 1% , mas ainda mantendo se acima dos US$ 50,00. Agenda econômica americana é de relevância média, com os ativos ficando mais correlatos com o noticiário interno.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da Qualicorp (ON) que avançavam 2,55% e a Vale (PNA) que apresentavam alta de 2,45%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da Multiplan (ON), que recuavam 2,05% e a Petrobras (ON) que apresentavam revés de 1,95%.

Empresas

A Vale anunciou que no terceiro trimestre de 2016 produziu 92,1 Mt de minério de ferro, ficando 5,3 Mt acima do 2T16 e 1,4 Mt acima do 3T15 devido principalmente: à melhor performance operacional nas minas e plantas do Sistema Norte; ao start-up de uma nova instalação de britagem na mina de Fazendão; à maior produtividade nos Sistemas Sudeste e Sul.

Já a Fras-le S.A. informou que a receita líquida consolidada da empresa, no mês de setembro de 2016, atingiu R$ 61,8 milhões ou 16,4% menor que aquela de setembro de 2015.

Agenda

Ontem, o Comitê de política monetária iniciou o ciclo de flexibilização da taxa de juros com um corte de 0,25 p.p. da Selic, em decisão unânime. Essa decisão veio dentro do esperado pela maioria do mercado.

E abrindo a agenda de indicadores internos, a atividade econômica recuou 0,91% em agosto com relação ao mês imediatamente anterior, na série dessazonalizada, de acordo com informações divulgadas através do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br).

Política

Ontem, o deputado cassado Eduardo Cunha foi preso em Brasília, no âmbito da Operação Lava Jato. O pedido de prisão preventiva do ex-presidente da Câmara dos Deputados foi emitido pelo juiz Sérgio Moro, que conduz as investigações da Lava Jato, na primeira instância.

Exterior

No exterior, a conta corrente na zona do euro alcançou um excedente de € 29,7 bilhões em agosto, de acordo com informações ajustadas sazonalmente divulgadas pelo Banco Central Europeu (BCE). No mês anterior, o número registrado foi de € 27,7 bilhões.

Além disso, o volume das vendas no comércio varejista do Reino Unido registrou estabilidade de 0,0% em setembro deste ano, na comparação com o mês anterior, segundo informações divulgadas hoje pela Agência Nacional de Estatísticas da região. Analistas previam avanço de 0,4%.

Nos Estados Unidos, os pedidos semanais de auxílio-desemprego registraram alta, segundo dados do departamento do Trabalho. Na semana terminada em 14 de outubro, foram registrados 260.000 pedidos de seguro-desemprego. Os analistas esperavam 250.000 pedidos na semana avaliada, contra os 247.000 registrados na semana anterior.

Para finalizar, o nível da atividade industrial na região da Filadélfia, nos Estados Unidos, avançou para 9,7 pontos em outubro deste ano, contra 12,8 pontos um mês antes, segundo informações divulgadas hoje pelo Federal Reserve da Filadélfia (Fed). O dado veio melhor do que o previsto pelo mercado, que estimava expansão para 5,3 pontos.

(MR – Agência IN)