Aplicativo do Idec permite que paulistano avalie qualidade dos transportes

Na segunda-feira (7), o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) lança a versão final do aplicativo MoveCidade. Disponível no Google Play para Android, a ferramenta permite que os usuários de São Paulo avaliem e comparem as viagens realizadas nos ônibus municipais, intermunicipais, metrô, CPTM e ciclovias, além das estações de bicicletas compartilhadas. As notas são dadas para quesitos como: tempo de espera, lotação, limpeza e infraestrutura dos sistemas.

Idec vai à Justiça contra novos planos de banda larga fixa

Na quinta-feira (14), o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) ingressou com uma Ação Civil Pública contra as operadoras Claro, Net, Oi e Telefônica. A medida foi protocolada na 9ª Vara Cível de Brasília e é contrária aos novos planos de banda larga fixa oferecidos pelas empresas com limites de dados muito pequenos, a chamada franquia.

Planos de saúde representam um terço das demandas do Idec

Os planos de saúde lideram com folga o ranking de atendimentos do Idec em 2015. Com um aumento de 64,8% em comparação com 2014, o setor foi responsável por praticamente um terço (32,7%) do total de demandas recebidas no ano. É o maior índice concentrado em um único setor de toda a historia do Idec.

  • Publicado em Saúde

Metade dos planos indicados pela ANS são vendidos, aponta Idec

A mais recente pesquisa do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), lançada em julho, mostra que contratar um plano de saúde individual ou familiar é tarefa das mais difíceis. Do total de opções listadas no site da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), apenas metade é realmente vendida pelas operadoras. Coincidentemente, os planos individuais têm regras mais protetivas sobre reajustes e cancelamento de contrato para o consumidor em comparação com os coletivos, que dominam cerca de 80% do mercado.

  • Publicado em Saúde

Idec apoia lei do Imposto na Nota Fiscal mas ressalta importância de campanhas informativas

O Governo adiou, por meio da MP (medida provisória) nº 649/2014, para o início de 2015, as medidas punitivas relativas ao não cumprimento da Lei n° 12.741, que trata da obrigação do fornecedor discriminar o total (em percentual) dos impostos incidentes sobre produtos ou serviços, sejam eles municipais, estaduais ou federais. No mesmo dia, foi publicado o Decreto 8.264/14 que regulamentou diversos aspectos ainda dúbios da Lei. 

Assinar este feed RSS