Crédito ampliado ao setor não financeiro cresce em abril

Em abril, o crédito ampliado ao setor não financeiro alcançou R$10,8 trilhões (147,7% do PIB), aumento de 0,6% no mês, refletindo a expansão de 3,7% na dívida externa (impulsionada pela depreciação cambial de 4,4%), enquanto os empréstimos e financiamentos registraram estabilidade e os títulos de dívida, redução de 0,7%, com queda nos títulos públicos, segundo dados do Banco Central (BC). Na comparação interanual, o crédito ampliado variou 13,7%, resultado do crescimento da dívida externa, títulos de dívida e empréstimos e financiamentos, respectivamente 23,1%, 12,3% e 9,6%.

Recuperação de crédito avança 1,1% em abril

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista – registrou avanço de 1,1% em abril contra março, já descontados os efeitos sazonais. No acumulado em 12 meses (maio de 2019 a abril de 2020), o indicador recuou 0,8%. Em relação ao mesmo mês do ano passado houve queda de 1,3%, enquanto no acumulado de janeiro até abril do ano corrente a variação foi de -0,1%.

Crédito ampliado alcançou R$10,7 trilhões em março

Em março, o crédito ampliado ao setor não financeiro alcançou R$10,7 trilhões (145,7% do PIB), crescendo 2,1% no mês, refletindo as expansões de 6,6% na dívida externa (impulsionada pela depreciação cambial de 15,6%) e de 2,8% nos empréstimos e financiamentos (notadamente nas operações do Sistema Financeiro Nacional, SFN), segundo dados do Banco Central (BC). Os títulos de dívida diminuíram 0,6% no mês, destacando-se a retração nos títulos públicos. Na comparação interanual, o crédito ampliado aumentou 12,8%, resultado do crescimento dos saldos da dívida externa, títulos de dívida e empréstimos e financiamentos, de 19,4%, 12,1% e 9,6%, respectivamente. 

Recuperação de crédito recua 2,9% em março

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista – registrou queda de 2,9% em março contra fevereiro, já descontados os efeitos sazonais. No acumulado em 12 meses (abril de 2019 a março de 2020), o indicador recuou 1,2%. Em relação ao mesmo mês do ano passado houve alta de 2,7%, enquanto no acumulado de janeiro até março do ano corrente a variação foi de 0,1%.

Demanda por Crédito do Consumidor avança 0,6% em fevereiro

A Demanda por Crédito do Consumidor avançou 0,6% em fevereiro na comparação com janeiro, já descontadas as influências sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista. Na comparação com fevereiro de 2019, o indicador cresceu 1,8%. Já no acumulado em 12 meses, houve avanço de 2,7%. Considerando os segmentos que compõem o indicador, o Financeiro apresentou elevação de 5,2% em 12 meses, enquanto o segmento Não Financeiro registrou aumento de 1% na mesma base de comparação.

Recuperação de crédito recua 3,3% em fevereiro de 2020

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista – registrou queda de 3,3% em fevereiro contra janeiro, já descontados os efeitos sazonais. No acumulado em 12 meses (março de 2019 a fevereiro de 2020), o indicador recuou 2,2%. Já em relação ao mesmo mês do ano passado houve alta de 2,2%.

Crédito ampliado alcançou R$10,3 trilhões em janeiro

Em janeiro, o crédito ampliado ao setor não financeiro alcançou R$10,3 trilhões (141,5% do PIB), variação de 0,4% no mês, segundo dados do Banco Central (BC). O saldo de empréstimos e financiamentos e de títulos de dívida caíram 0,4% e 1%, respectivamente, enquanto a dívida externa cresceu 5,1%, impulsionada pela depreciação cambial. Na comparação interanual, o crédito ampliado cresceu 12%, resultado das expansões de 7,1% nos empréstimos e financiamentos, de 14,8% em títulos de dívida e de 15,2% na dívida externa. 

  • Publicado em Economia
Assinar este feed RSS