Produção de motocicletas tem alta em março

  •  
Produção de motocicletas tem alta em março (Foto: Pexels) Produção de motocicletas tem alta em março

Em março, as fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus – PIM produziram 101.425 unidades, volume 10,8% superior ao registrado no mesmo mês de 2019 (91.535 unidades) e 7,4% maior que fevereiro do presente ano (94.442 unidades). Segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, o primeiro trimestre do ano apresentou crescimento de 7%, com 296.159 motocicletas produzidas, em comparação com as 276.760 unidades fabricadas em igual período de 2019.

“O setor começou o mês de março com forte atividade industrial, porém, para preservar a segurança dos colaboradores e cumprir as determinações das autoridades governamentais e de saúde, cerca de 60% das empresas associadas à Abraciclo do segmento de motocicletas anunciaram paralisações temporárias da produção de suas fábricas em Manaus, em função dos impactos da pandemia do coronavírus (covid-19). As paralisações ocorrem em períodos variados, começando em 30 de março e se estendendo até 5 de maio”, relata Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

A entidade informa que a perspectiva de baixa atividade comercial devido às ações preventivas de confinamento da população em suas residências também foi um fator considerado para a decisão de suspensão temporária da produção. “Os resultados serão sentidos no balanço do mês de abril”, analisa Marcos Fermanian.

Vendas no atacado

Em março, as fábricas repassaram para as concessionárias – em operações de atacado – 92.900 motocicletas, volume que representa uma retração de 0,8% na comparação com o mesmo mês de 2019 (93.605 unidades) e de 0,9% em relação a fevereiro do presente ano (93.757 unidades).

As vendas no atacado no primeiro trimestre somaram 277.402 unidades, correspondendo a uma alta de 2,5% na comparação com o mesmo período de 2019 (270.724 unidades).

Emplacamentos

De acordo com levantamento do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) analisado pela Abraciclo, em março foram licenciadas 75.372 motocicletas, volume 10,1% inferior ante as 83.798 unidades emplacadas no mesmo mês de 2019 e 5,6% menor na comparação com fevereiro do presente ano (79.812 unidades). 

Ainda de acordo com a análise dos dados do Renavam, março fechou com média diária de vendas de 3.426 unidades, em 22 dias úteis. É importante considerar, no entanto, que alguns Detran’s não estavam operando plenamente, prejudicando a comparação com outros meses. Pelos números disponíveis, isto significou a menor média diária de vendas de um mês de março desde 2004 (3.491 unidades/dia). Na comparação com o março do ano passado, que registrou 19 dias úteis, a queda foi de 22,3% (4.410 unidades/dia) e em relação a fevereiro do presente ano, com 18 dias úteis, o recuo foi de 22,7% (4.434 unidades/dia).

No primeiro trimestre, as vendas no varejo somaram 246.848 unidades, volume 4,6% inferior ao alcançado no mesmo período do ano passado (258.652 unidades).

Exportações

As exportações totalizaram 2.730 unidades em março, correspondendo a uma queda de 22,6% em relação ao mesmo mês de 2019 (3.525 unidades). Na comparação com fevereiro do presente ano (2.394 unidades), houve uma alta de 14%.

Segundo dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat, que registra os volumes de embarques totais de cada mês, analisados pela Abraciclo, a Argentina foi o principal destino das motocicletas produzidas no PIM, com o embarque de 905 unidades (33,9% do volume total). Na sequência, vieram Canadá (452 unidades e 16,9% de participação) e Colômbia (336 unidades e 12,6%).

No primeiro trimestre, as exportações somaram 6.825 unidades, representando uma queda de 40% na comparação com o mesmo período do ano passado (11.382 unidades). Ainda de acordo com a análise dos dados do Comex Stat, a Argentina recebeu 3.011 motocicletas no trimestre, o que representou 41,9% das exportações. Em segundo lugar ficaram os Estados Unidos (1.244 unidades e 17,3%), seguidos pelo Canadá (816 unidades e 11,4%).

(Redação – Investimentos e Notícias)