Reservas bancárias crescem 6% em setembro

  •  
Reservas bancárias crescem 6% em setembro Foto: Divulgação

A base monetária atingiu R$408,7 bilhões em setembro, com expansões de 1,5% no mês e de 45,4% em doze meses. No mês, as reservas bancárias cresceram 6% e o papel-moeda emitido, 0,8%. Entre os fluxos mensais dos fatores condicionantes da base monetária, as maiores expansões ocorreram nas operações do Tesouro Nacional (R$75 bilhões), nas operações com derivativos (R$12,9 bilhões) e nos depósitos de instituições financeiras (R$9,7 bilhões, resultado de liberações de recolhimentos sobre depósitos de poupança, de R$12 bilhões).

As operações do setor externo e da Linha Temporária Especial de Liquidez (LTEL) também promoveram impacto expansionista, respectivamente, R$7,7 bilhões e R$2,1 bilhões. Em sentido contracionista, as operações com Títulos Públicos Federais totalizaram R$100,4 bilhões, resultado de colocações líquidas de títulos nos mercados primário e secundário.

O saldo dos meios de pagamento restritos (M1) alcançou R$565,4 bilhões em setembro, aumento de 2,2%, com elevações de 3,9% em depósitos à vista e de 0,6% no papel-moeda em poder do público. Considerando-se dados dessazonalizados, o M1 cresceu 2,5% no mês.

O M2 totalizou R$3,8 trilhões (+1,9% mês), incorporando aumentos de 1,1% nos saldos de depósitos de poupança (alcançando R$1,0 trilhão) e de 3,1% nos saldos de depósitos a prazo (que somou R$1,7 trilhão). No mês, captações líquidas de R$13,2 bilhões nos depósitos de poupança e de R$35,9 bilhões em depósitos a prazo.

O M3 situou-se em R$7,7 trilhões (+0,7% mês), apesar do recuo de 0,3% nas quotas de fundos do mercado monetário (saldo de R$3,7 trilhões). O M4 cresceu 0,2% no mês e 13,8% em 12 meses, totalizando R$8,1 trilhões.

(Redação - Investimentos e Notícias)