Braskem registra Ebitda de R$ 1,66 bilhão no 2T20

  •  
Braskem registra Ebitda de R$ 1,66 bilhão no 2T20 Foto: Divulgação Braskem registra Ebitda de R$ 1,66 bilhão no 2T20

A Braskem registrou Ebitda recorrente de R$ 1,66 bilhão no segundo trimestre, um resultado 26% maior que o do trimestre anterior e 2% superior ao do mesmo período do ano passado em função da depreciação do real frente ao dólar. Em dólares, o Ebitda de US$ 310 milhões foi 5% superior ao do primeiro trimestre, mas 25% inferior ao do segundo trimestre de 2019. 

Já a receita líquida de vendas foi de R$ 11,2 bilhões, 11% inferior ao trimestre anterior, impactada pelo cenário da pandemia. "Estamos trabalhando num contexto desafiador com a situação da pandemia, mas focados sobretudo na segurança das pessoas e de atendermos as demandas de nossos clientes. Estamos mantendo nossas plantas industrias operando e continuamos nos preparando para uma retomada econômica nos mercados que atuamos", afirma Roberto Simões, presidente da Braskem.

No segundo trimestre, a Companhia registrou prejuízo líquido de R$ 2,47 bilhões explicado pela provisão adicional de R$ 1,6 bilhão referente ao evento geológico de Alagoas e pelo impacto da variação cambial no resultado financeiro, dada a depreciação do real frente ao dólar sobre a exposição líquida no montante de US$ 2,8 bilhões.

Em junho, a Braskem atingiu um importante marco, com a assinatura dos contratos de fornecimento de nafta petroquímica para as unidades industriais na Bahia e no Rio Grande do Sul. Os contratos, com prazo de cerca de cinco anos após o encerramento do contrato atual, garantem o fornecimento de volume mínimo anual de 650 mil toneladas e, por opção da Petrobras, de um volume adicional máximo de até 2,8 milhões de toneladas por ano, com preço de 100% da referência internacional ARA. Adicionalmente, para garantir acesso ao sistema logístico de nafta no Rio Grande do Sul, a Braskem também renovou os contratos de tancagem com a Petrobras e de movimentação e tancagem com a Petrobras Transporte S.A.. Com isso, a Companhia garante a sua eficiência operacional e confiabilidade para as centrais do Rio Grande do Sul e da Bahia.

Na busca de utilização de energias cada vez mais sustentáveis em seus ativos industriais, a Companhia assinou em junho o contrato para a compra de energia renovável com a Canadian Solar Inc. O contrato contribui para viabilizar a construção de uma usina solar no norte de Minas Gerais com capacidade instalada de 152 MWp, que garantirá fornecimento desta energia para a Braskem pelo prazo de 20 anos.

Adicionalmente, em função dos avanços do COVID, a Companhia vem adotando uma série de medidas para minimizar os impactos decorrentes do cenário em suas operações e na sociedade. A Companhia passou a operar seus ativos industriais com equipes mínimas e, mesmo com a redução de cerca de 40% do contingente de integrantes e terceiros no período, conseguiu manter as atividades de forma segura para as pessoas e com confiabilidade nas operações.

Em relação à operação, as taxas de utilização no Brasil e nos Estados Unidos foram temporariamente reduzidas em razão da menor demanda e do movimento de redução de estoques na cadeia produtiva da petroquímica e dos plásticos. Em maio, as cargas das centrais petroquímicas no Brasil foram reduzidas para 64% de suas capacidades nominais. Com a retomada da demanda, a taxa de operação aumentou para 75% em junho. Já nos Estados Unidos, as taxas de utilização foram reduzidas para 85% de sua capacidade, retornando para a normalidade em junho, o que resultou em 90% de utilização no trimestre. "As taxas de operação irão acompanhar a demanda de mercado e as novas oportunidades de exportação que surgiram em outras regiões, principalmente com o reinício de atividades na Ásia", diz Simões.

Além disso, a Companhia destaca ainda sua atuação responsável e, até o momento, 83 projetos de doação ao combate do Covid foram aprovados, o que totaliza R$ 7,2 milhões em doações. Desses projetos, 40 estão em fase de implementação, em que os beneficiários finais já começaram a receber a doação, e 43 já foram implementados. No trimestre, foram realizadas ações em conjunto com clientes e outros parceiros para a transformação de resinas plásticas e químicos em itens essenciais, como máscaras cirúrgicas, embalagens para álcool líquido e gel, água sanitária e a impressão 3D de hastes para máscaras de proteção. Destaca-se também a doação de GLP para hospitais de campanha e de kits de higiene e cestas básicas para as comunidades afetadas no entorno das operações da Companhia.

Por fim, a Braskem reitera seu comprometimento em relação ao seu plano de desalavancagem. Em função disso, a Braskem concluiu em julho, a emissão de títulos subordinados, por meio da subsidiária Braskem Netherlands Finance B.V. Esses títulos, no total de US$ 600 milhões, têm vencimento em 2081 e cupom de 8,5% ao ano, e foi o primeiro instrumento de dívida híbrido com tratamento de equity de 50% pela Standard & Poor's e Fitch Ratings emitido por uma empresa brasileira. "Isso reforça o compromisso da Companhia na continuidade da implementação de medidas para redução da sua alavancagem corporativa para retornar ao nível de risco de grau de investimento", diz Pedro Freitas, vice-presidente de Finanças, da Companhia.

(Redação - Investimentos e Notícias)