CESP registra receita líquida de R$ 486 milhões no 2T20

  •  
CESP registra receita líquida de R$ 486 milhões no 2T20 Foto: Divulgação CESP registra receita líquida de R$ 486 milhões no 2T20

A CESP - Companhia Energética de São Paulo anunciou que no segundo trimestre de 2020 a companhia obteve crescimento de 32% na receita operacional líquida em relação ao mesmo período de 2019, atingindo R$ 486 milhões, principalmente pela sazonalização de energia vendida, operações de trading pela CESP Comercializadora, e maior receita advinda da indexação dos contratos de venda de energia.

O EBITDA ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) totalizou R$ 287 milhões no 2T20, com margem de 59% e um incremento de 31% comparado ao segundo trimestre do ano passado. O aumento no EBITDA ajustado na comparação trimestral é explicado, principalmente, pelo aumento na receita e pela redução nos custos e despesas gerenciáveis, em particular na maior eficiência na gestão do balanço energético.

A produção de energia elétrica nas usinas operadas pela CESP no 2T20 atingiu 966 MW médios, 2% superior ao 2T19 quando atingiu 949 MW médios. A afluência nas bacias da região Sudeste no primeiro semestre de 2020 foi 8% superior em relação ao primeiro semestre de 2019, o que possibilitou uma boa recuperação nos reservatórios desta região no período chuvoso.

Paralelamente, a pandemia de COVID-19 provocou uma forte redução na carga do Sistema Interligado Nacional (SIN), mas a crise hídrica no sul do País está demandando mais energia proveniente da região sudeste, o que constribuiu para que o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) implementasse uma política de maior despacho para a UHE Porto Primavera.

"Nossos resultados financeiros refletem a assertividade na execução de nossas estratégias. O crescimento de 31% do EBITDA Ajustado resulta em uma forte capacidade de geração de caixa, o que nos coloca em uma posição de destaque nesse contexto. Nesse úlitmo trimestre, geramos R$ 263 milhões de fluxo de caixa operacional após serviço da dívida.", afirma Mario Bertoncini, Diretor Presidente e de Relações com Investidores.

O segundo trimestre de 2020 foi marcado por expressivos resultados em todas as frentes de gestão, alinhados às conquistas alcançadas no primeiro ano após a privatização da CESP. Neste semestre, a companhia já deu importantes passos na digitalização de processos e análise de dados, que devem levá-la para um novo patamar de eficiência operacional.

A CESP também está avançando na elaboração de uma estratégia de sustentabilidade por entender que é parte da solução para os desafios da sociedade. "Obtivemos a certificação para emissão de International Renewable Energy Certificates (I-RECs) atestando a origem de energia renovável e garantindo a rastreabilidade do atributo ambiental de nossa energia", completa Bertoncini.

Em termos operacionais, um dos indicadores mais significativos, o índice de disponibilidade médio das usinas atingiu no 2T20 a média de 94,5%, consistentemente acima dos níveis de referência estabelecidos pela ANEEL, demonstrando de forma contínua a boa gestão da manutenção e, consequentemente, maior eficiência na disponibilidade das usinas.

(Redação - Investimentos e Notícias)